Alguns (muitos) Monumentos em Ruínas em Portugal

5.00 avg. rating (99% score) - 12 votes

Este artigo dá a conhecer alguns monumentos da história de Portugal mas esquecidos no tempo… a cair na degradação á espera de restauro, mas como o país vai, vão mesmo acabar por morrer, todos, ou quase…

Convento de Santa Cruz da Trapa – Solar dos Malafaias

Situa-se á entrada da freguesia de Santa Cruz da Trapa, concelho de S. Pedro do Sul, este belo mosteiro em ruinas. O Solar dos Malafaias, ou Solar da Gralheira, data do séc. XVIII. O último proprietário, Joaquim Teles de Malafaia, desgostoso com a construção de uma estrada mesmo junto ao solar, abandonou-o e mudou-se para um outro solar na região de Serrazes.

Mosteiro Santa Cruz Trapa

mosteiro-santa-cruz-trapa

Convento de Nossa Senhora do Desterro em Monchique

Situado em Monchique, o Convento de Nossa Senhora do Desterro foi fundando em 1631 por Pedro da Silva, Governador da Índia Portuguesa. Edificado no estilo manuelino, atualmente encontra-se em ruínas.

Convento de Nossa Senhora do Desterro em Monchique

Convento de Monfurado em Montemor-o-Novo

O Convento de Monfurado foi edificado no séc. XVIII por monges anacoretas. Ao contrário de outras ordens religiosas, neste convento imperou a austeridade material. Foi vitima do decreto de 1834 que extinguiu as ordens religiosas.

Convento de Monfurado

Forte de Nossa Senhora da Graça

O Forte de Nossa Senhora da Graça, oficialmente Forte Conde de Lippe (Alcáçova), complementava a defesa da Praça-forte de Elvas. Passou por várias guerras e foi utilizado como prisão militar. Em junho de 2013, foi cedido à Câmara de Elvas para restauro.

Forte de Nossa Senhora da Graça

Pavilhões do Parque situados no Parque D. Carlos I nas Caldas da Rainha

Os Pavilhões do Parque, situados no Parque D. Carlos I (Caldas da Rainha), nunca serviram o propósito para que foram construidos (1889), o apoio às termas. Albergaram um quartel militar, uma esquadra da polícia e uma escola secundária.

Pavilhões do Parque nas Caldas da Rainha

 Pavilhão Carlos Lopes em Lisboa

Inaugurado em 1932 para a Exposição Industrial Portuguesa, o Pavilhão Carlos Lopes (Lisboa) foi adaptado para eventos desportivos em 1946. Em 1984, assume o nome em homenagem ao atleta. Em 2003 foi encerrado e aguarda desde então um projeto que lhe dê novo uso.

 Pavilhão Carlos Lopes em Lisboa

A Quinta do Duque em Alpriate, Vila Franca de Xira

A Quinta do Duque situada junto á localidade de Alpriate, Vila Franca de Xira vai buscar o nome aos Duques de Lafões, antigos proprietários. O edifício principal foi dos primeiros a ser construido em Portugal seguindo a traça do neoclassicismo.

Quinta de recreio dos duques de Lafões, este notável conjunto que denota uma campanha neoclássica, inclui, para além do solar residencial, instalações utilitárias e zonas de lazer (apesar de descaracterizado, devido ao abandono a que está sujeito aquele espaço, ainda se vislumbra o original jardim de buxo à francesa).

A Quinta do Duque em Alpriate, Vila Franca de Xira

Palacete Villa Sousa  no Lumiar, Lisboa

Mandado construir por iniciativa de José Carreira de Sousa, com projeto do arq. Manuel Joaquim Norte Júnior, o Palacete Villa Sousa (Lumiar, Lisboa), recebeu em 1912 com o Prémio Valmor. Atualmente em ruínas, mantem apenas a fachada e algumas paredes.

Palacete Villa Sousa no Lumiar, Lisboa

Palacete Rosa Pena em Espinho

Pela dimensão e pelo jogo de volumes, não se fica indiferente ao Palacete Rosa Pena (1930), em Espinho. Apesar do estado de degradação, ainda é possível ver boa parte do trabalho de cantaria das janelas geminadas e a aplicação de frisos e painéis em azulejos.

Palacete Rosa Pena em Espinho

Palácio do Farrobo em Vila Franca de Xira

Construido no séc. XIX, o Palácio do Farrobo (Vila Franca de Xira), foi pertença do 1º conde de Farrobo. O palácio incluía um pequeno teatro onde chegaram a atuar companhias de ópera italianas. Nos dias que correm está em avançado estado de ruína.

Palácio do Farrobo em Vila Franca de Xira

Palácio de Midões em Tábua

O Palácio de Midões é uma das construções emblemáticas de Midões (Tábua), pela localização na vila e por estar junto de construções de reconhecido valor. Casa brasonada, pertenceu ao segundo Visconde de Midões. Está em avançado estado de degradação.

Este palácio ocupa a parte central da freguesia de Midões no concelho da Tábua. A data da construção é desconhecida. O bonito Palácio de Midões encontra-se hoje em avançado estado de degradação.

Palácio de Midões – Tábua

Palácio da Azambuja na foz da Vale da Azambuja

O Palácio da Azambuja situa-se na foz da Vala da Azambuja. Mandado construir pela Rainha D. Maria I, fazia as funções de estalagem e controlo de tráfego de passageiros e mercadorias que circulavam pela Vala Real, entre Lisboa e Constância.

Palácio da Azambuja na foz da Vale da Azambuja

Casa do Relógio ou Casa Manuelina no Porto

A Casa do Relógio, também conhecida por Casa Manuelina, está localizada na foz do Douro, no Porto. Mandada construir pelo republicano Arthur Jorge Guimarães, a casa foi traçada por José Teixeira Lopes. Nela são visíveis vários símbolos da nacionalidade lusitana.

Casa do Relógio ou Casa Manuelina no Porto

Palácio do Rei do lixo ou Torre do Inferno – Coina

Esta estranha torre escontra-se situada na freguesia de Coina e é um marco da região. Foi mandada construir por Manuel Martins Gomes Júnior , conhecido como Rei do lixo, de forma a mostrar a sua grandiosidade. Há quem diga que ele construiu o palácio para que conseguisse avistar a propriedade que possuía em Alcácer do Sal.

Palacio rei do lixo

Sanatório do Caramulo – Tondela

Este é um dos 19 Sanatórios situados no Caramulo. O Caramulo, como estância Sanatorial, foi criado em 1921 (a única vila portuguesa criada de raiz) e foi a primeira vila a dispor de saneamento básico e electricidade. Esta “Vila sanatorial”, criada pelo médico Jerónimo de Lacerda, nasceu com a finalidade de tratar doentes com tuberculose.

Autor: http://olhares.sapo.pt/PereiraLuis

Castelo da Dona Chica – Braga

Este belíssimo castelo foi mandado construir por Francisca Peixoto de Sousa em 1915, no entanto as obras arrastaram-se por décadas. e foram inúmeros os proprietários desta mansão.

castelo dona chica

Casa dos Ingleses – Moita

Uma bonita casa agrícola com capela e praia privativa, que pertenceu a uma família inglesa. Hoje está completamente abandonada.

Casa dos Ingleses – Moita

Hotel Monte Palace – S. Miguel, Açores

Este “hotel” está situado nas Sete Cidades, em S. Miguel. Foi o primeiro hotel 5* da Ilha, e apesar da sua beleza e grandiosidade, teve pouco tempo aberto. Abriu em 1984 e fechou portas dois anos depois.

 Hotel Monte Palace – S. Miguel, Açores

Casa do Professor ou Quinta do Parreira – Oliveira de Azeméis

Uma casa lindíssima, que teve vários proprietários ao longo dos anos. Os nomes pela qual é conhecida deve-se a dois dos seus proprietários.
A Casa do Professor, ou Quinta do Parreira, foi buscar o seu nome a antigos proprietários. Com uma fachada revestida a azulejos e interiores com dimensões e decoração de fazer inveja a muitas casas nobres, este edifico está hoje em total abandono.

Casa da Parreira

Casa do Professor ou Quinta do Parreira – Oliveira de Azeméis

Convento de S. Francisco do Monte – Viana do Castelo

Este convento situa-se na freguesia de Santa Maria Maior, em Viana do Castelo. Foi um dos três primeiros conventos da Ordem dos Frades Menores a ser erguido.
Hoje encontra-se como pode ver na imagem abaixo.

Convento de S. Francisco do Monte – Viana do Castelo

Convento de Seiça – Figueira da Foz

Mandado construir por D. Afonso Henriques em 1175, em louvor à Virgem Maria devido a um milagre recebido junto da capelinha de Nossa Senhora de Seiça.
D. Afonso Henriques morreu sem ver finalizada a construção do convento.

Convento de Seiça - Figueira da Foz

Fábricas de tecidos e de papel em Crestuma – Vila Nova de Gaia

Na freguesia de Crestuma, Vila Nova de Gaia, existiram, nos séc. XIX e XX, numerosas fábricas de tecidos e de papel. A unidade fabril da Companhia de Fiação de Crestuma foi uma delas, atualmente votada ao abandono.

Fábricas de tecidos e de papel em Crestuma

Chalet da Condessa d’Edla (restaurado) – Sintra

Este bonito Chalet foi mandado construir em 1864 pelo rei D. Fernando II (também responsável pela reconstrução do Palácio da Pena) e a sua segunda esposa, Elise Hensler – Condessa d’Edla.
O edifício encontrava-se em estado avançado de degradação quando em 2007 se iniciaram as obras de reabilitação.

Chalet da Condessa d´Elda (restaurado) – Sintra

…Entretanto restaurada:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Festival da Comida Continente no Verão de 2019
Tagged , , , , , , , , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.

15 Responses to Alguns (muitos) Monumentos em Ruínas em Portugal

  1. Hugo Jesus says:

    No texto ainda diz “10 belos monumentos…”.
    Deviam alterar isso! 😉

  2. Henrique Santos says:

    Olá… Eu uns amigos meus ficamos fascinados com a casa Manuelina e com a história dela… Mas o que nós queríamos saber era se podíamos entrar lá para investigar e não vandalizar pois soube que muitos drogados e sem-abrigos tem estragado aquilo que se chama “arte”… Nós queríamos investigar realmente se é assombrado como dizem!

  3. araci de miranda says:

    Belíssimo trabalho. Não conheço Portugal, mas um dia gostaria de visitar em especial tudo que você fotografou.Parabéns.

  4. Warrior says:

    Por favor, sejam exactos no que dizem….

    ELDA? Mas qual ELDA?

    E!D!L!A!!!! EDLA!!! Condesa d’Edla!!!!

    E é tão fácil pesquisar na net… Terá tido ela sorte em não ser renomeada ELSA? É que de ELDA para ELSA é um saltinho!

  5. breno says:

    queria estar vivendo nessa epoca

  6. Andre says:

    Palácio de Midões está repetido.

  7. Eugénio Vieira da Costa says:

    Boa tarde

    Bonito trabalho o seu , lindo que que se vê o que te imagina!!

    Belezas com o tempo juntarão-se os 2 e resultou assim… é pouco.
    Quem sabe não poderia juntar-me…

    pode por favor me mandar um email que tenho algumas perguntas de caracter particular a fazer ???

    obrigado pelo vosso trabalho
    com os melhores cumprimentos
    V. Costa

  8. paulo says:

    e uma tristeza este patrimonio estar assim!!!! a nossa historia nada e… nada vale…. NINGUEM SE PREOCUPA COM ESTAS VERDADEIRAS OBRAS DE ARTE?????????????

  9. O Convento de Santa Cruz retratado, é na realidade a casa dos Malafaias, sobre a qual há várias referência na internet.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.