Passadiço do Paiva vai ter mais 4 Km e um Museu e Bar Suspenso em 2017

4.33 avg. rating (87% score) - 9 votes

Passadiço em Madeira em linha retaO Passadiço sobre o Rio Paiva vai ser estendido por mais quatro quilómetros e ter mais algumas infra-estruturas de apoio que esperam estar concluídas em final de 2017. O custo das próximas intervenções no passadiço do Paiva é de cerca de 2 milhões de Euros com apoio comunitário.

A Câmara Municipal de Arouca prepara a 2ª fase de intervenção do Passadiço do Paiva com o seu prolongamento por mais 4 Km (além dos 8Km que o atual tem em que passa pela praia fluvial da Espiunca, praia Fluvial do Vau e praia fluvial do Areinho) e a construção de uma nova ponte suspensa sobre o Rio Paiva.Passadiço e Rio Paiva no Verão

No imediato arranca o reforço das infraestruturas de apoio com a construção de casas de banho. O passadiço de Arouca que tem 8 km vai crescer e promete aumentar, ainda mais, a espetacularidade do percurso que atrai milhares de visitantes desde que abriu ao público.

Escadaria do Passadiço do Paiva

O presidente da autarquia de Arouca, José Artur Neves, confessa que, apesar de sentir que a obra iria ter um grande impacto, o número de visitantes ultrapassou todas as expectativas. Por isso considera mais que justificado o arranque desta 2ª fase do projeto, dependente de uma decisão de apoios comunitários que o autarca acredita no seu deferimento.

Mapa do Passadiço do Paiva na Espiunca e Areinho – Coordenadas GPS

40.992806, -8.211472 e 40.952885,-8.175942

A intervenção prevê a ligação pedonal na zona da Garganta do Paiva com a construção de uma ponte suspensa de cerca de 400m de altura, idêntica á instalada no Vale (com 200m de altura) mas com maior dimensão. Esta passagem irá ligar o atual passadiço ao topo da Ribeira das Aguieiras. Neste local existem 15 moinhos junto à cascata de água que se desenvolve ao longo de mais de 200m de encosta e que serão recuperados.

Museu e Bar suspenso do PaivaPontos de interessa do Passadiço do Paiva

Poucos metros depois haverá outra novidade: A instalação de um museu na Quinta do Picota que passará a chamar-se Quinta Museu da raça Arouquês onde o Passadiço também vai chegar. ” A ponte vai permitir a ligação à zona Central de Alvarenga”.

As aldeias de Cabranca e Paradinha ficarão também ligadas pelo passadiço e por caminhos. A construção de um bar suspenso sobre a água é outra obra anunciada.

Passadiço Rio Paivô e Frades

A este novo percurso junta-se um outro, que liga o passadiço ao Rio Paivô,  em Paradinha, e que seguirá até ao complexo mineiro do rio Frades, adquirido pela Câmara de Arouca e que será transformado num núcleo museológico. Intervenções que José Artur Neves diz concluir até ao final de 2017 (quando termina o se mandato).

Passadiços de Madeira do Paiva

Novas infraestruturas de apoio ao Passadiço do Paiva

No imediato o presidente diz que serão construídas infraestruturas de apoio. “Sentimos que as que temos são deficitárias em termos de dimensionamento”, como por exemplo as fossas de Espiunca.”Tem de ser limpas todos os dias de manhã e á noite, porque não estavam dimensionadas para o número elevado de pessoas que ali se deslocam. Vamos ter de construir na Praia Fluvial do Vau casas de banho.

Sobre a alegada falta de caixotes do lixo ao longo do percurso o presidente considera que essa crítica não faz sentido, pois tem contentores no início, no meio e no final do percurso, e que há dois funcionários permanentes a fazer limpeza. A recolha está contratada como a manutenção do passadiço.

Passadiço ao lado da Estrada

Imagens do Atual Passadiço do Paiva

Estruturas Passadiço do Paiva Localizações Rio Paiva Painel Passadiço PaivaNivel da Caminhada do Paiva InformaçõesMapa das localizações do passadiço Garganta do Paiva Percurso B9 Fonte de água natural Lixo no chão Dejetos de Cão no Chão água limpa para beber Posto SOS no Passadiço do Paiva Passadiço do Paiva em linha reta Rochas salientes Passadiço por debaixo das rochas Percurso B7 Escarpas do paiva Passadiço ao lado do Rio Paiva Passadiço ao lado do Rio Paiva Percurso B6 recanto do passadiço SOS do Passadiço Calopterix de Portugal Painel do Passadiço Passadiço do Paiva Passadiço do Paiva                          
    
Tagged , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.

10 Responses to Passadiço do Paiva vai ter mais 4 Km e um Museu e Bar Suspenso em 2017

  1. Rui Neves says:

    É sempre o mesmo defeito de todas as infraestrutura Públicas e não Públicas. Criam-se as coisas e não há sinalização para indicar o trajecto pelas estradas…enfim, adivinhem que deve ser para aquele lado e é os técnicos que temos. Saiam das secretárias, pá!!

  2. Céu Carvalho says:

    Ola!
    Quero felicitar Arouca em primeiro lugar pela iniciativa,um exemplo a seguir!!!!
    Eu fiz os passadiços com uns amigos de Viana do Castelo, todos viemos encantados, mas fazia falta baldes do lixo e espaços, para merendar, porque só ha no meio do percurso…..

  3. Raul Aires says:

    Excelente iniciativa. Tenho que ir aí fazer todo o percurso, mas gostava que informassem se tem diversas saidas. Espero que outras autarquias tenham a mesma iniciativa e muitos parabéns por serem sssim. Resido em Porto.

  4. Carlos Ernesto Bäuerle says:

    Bom dia!

    A minha família e eu fomos no dia 18 de agosto conhecer o passadiço em Arouca. Deslumbrante e magnífico. Apenas alguns comentários a fazer ( a viagem foi feita a partir do Porto na A1):
    não se consegue detetar com antecedência que para chegar ao passadiço tem que se ir primeiro a Arouca, a sinalização depois de Arouca também não é a mais eficaz. No trajeto, poria, por vezes, alguns rails. Em Espiunca, os lugares de estacionamento são insuficientes (em agosto nem se fala).. Durante o passadiço, detetamos que os locais para merendar e/ou descansar não existem praticamente (para além das praias), não nos podemos esquecer que são oito quilómetros, dias quentes e que estão presentes pessoas de várias idades. Eu poria mais baldes do lixo durante o percurso.
    Mais alguns reparos: não consigo encontrar imagens como foi construído o passadiço, as populações locais será que estão preparadas e de que forma vão beneficiar com o fluxo de visitantes. No outro extremo, Areinho, não há nenhuma informação da distância à localidade. Que medidadas existem, de prevenção e intervenção, no caso de haver um incêndio?

    Atenciosamente.
    Carlos Bäuerle

    • Aquapolis says:

      Relativamente á informação de placas nas estradas a indicar o passadiço, isso é uma lacuna que deveria ter sido acautelada atempadamente. Pois só existe das localidade de inicio/fim, Espiunca e Areinho, mas fraca identificação.
      Relativamente aos outros pontos, nem a Câmara Arouca estava preparada para tanta afluência daí ter algumas lacunas como o estacionamento, casas de banho, caixotes de lixo, etc

  5. Ana Cardoso says:

    De alguma maneira é urgente repensar como passar a mensagem de um comportamento adequado (nível de ruído, lixo, alimentos, etc..) para os utentes. Uma maneira rápida mas que não muda comportamentos é cobrar uma entrada, a outra dá mais trabalho, mas é muito necessária para promover uma vertente educativa e uma verdadeira experiência de natureza para quem a procura, especialmente se se têm em vista turistas estrangeiros…

  6. Rogério Ribeiro says:

    2 Milhões… deveram ser suficientes para assegurar a manutenção da infraestrutura por uns 10 a 20 anos!

    • Aquapolis says:

      Com a afluencia de pessoas claro que se pensa na manutenção do que está e aumento, é normal. Deverá haver verbas comunitárias para issso

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *