Zona Fluvial e Ribeirinha de Odemira

5.00 avg. rating (93% score) - 1 vote
Zona Fluvial de Odemira

A zona ribeirinha de Odemira também conhecida pelo Parque Ribeirinho do Mira, pois é banhado pelas margens do Rio Mira que atravessa a cidade é uma zona de lazer de excelência nas duas margens.

 Jardim Ribeirinho do Mira

Depois da requalificação que terminou no final de 2019 esta zona ficou com bastante estaço de lazer para aproveitar o centro de Odemira.

Na margem nascente pode aproveitar para passear peloa passadiços de madeira que tem junto ao Rio Mira, em algumas partes de do passadiço tem locais para relaxar mesmo sobre a água do rio.

Também tem parque de merendas, um junto ao café/bar e outro junto á ponte rodoviária que atravessa o Rio. Pode aproveitar a vista e relaxar, pois tem muita sombra.

Zona da Praia Fluvial para ir a banhos no Rio Mira

Na outra margem tem uma zona de relvado com caminho por entre a relva e também um ancoradouro para barcos de recreio, onde até pode ir a banhos no Rio Mira, dependendo da maré, o rio pode estar mais ou menos “cheio”. Aqui a água já é um bocadinho salgada.

Desportos Náuticos em Odemira

A separar as margens tem uma bela ponte pedonal imponente!

Localização da Zona Fluvial de Odemira

Mesmo ao lado da N120 no centro de Odemira pode estaionar o seu carro para percorrer os passadiços. As coodenadas GPS são 37.598273, -8.646139 ou 37°35’53.8″N 8°38’46.1″W

Vídeo da Zona Ribeirinha de Odemira

 

Imagens da Zonas Ribeirinhas de Odemira

 
Ponte pedonal sobre o Rio Mira em Odemira
Rio Mira em Odemira
Rio Mira em Odemira
Zona Ribeirinha Relvado em Odemira
Zona Ribeirinha de Odemira
Estacionamento Junto ao Rio Mira
Parque de Merendas Junto ao Rio Mira em Odemira
Zona Fluvial Odemira
SUP Rio Mira
Relvado Zona Ribeirinha Odemira
Passeio pedonal junto ao Rio Mira em Odemira
Ponte Pedonal em Odemira
Rio Mira Maré Cheia
Ancoradoura barcos Odemira
Rio Mira em Odemira com Maré cheia
Zona Ribeirinha Rio Mira
Praia Fluvial Centro Odemira
Praia Fluvial em  Odemira (Centro) Rio Mira
Rio Mira e Ponte Pedonal de ferro em Odemira
Stand Up paddle no Rio Mira em Odemira
Rio Mira
Rio Mira em Odemira
Café bar Zona Ribeirinha Odemira
Parque de Merendas Odemira
Parque de Merendas Centro Odemira
Proibido Caravanas

Conhecer/Sobre a Vila de Odemira!

É no Alentejo, no sudoeste de Portugal, que se situa Odemira, o concelho mais extenso do país, cruzado pelas águas do rio Mira. ‘Alentejo num só concelho”é a imagem deste município que integra paisagens e realidades tão diversificadas como a planície, a serra, o rio, a barragem e o mar. A todas elas estão associados interessantes valores ambientais.

Conheça Odemira

A Freguesia de São Salvador e Santa Maria tem como principais aglomerados a Bemposta, Algoceira, Portas do Transval e a vila de Odemira. Esta é sede do maior concelho do país, e fica situada nas margens do Rio Mira, considerado o Rio Natureza. Percorrer as ruas de Odemira é percorrer séculos da história: desde edifícios religiosos e civis mais antigos, ao património mais recente, representado pelas várias peças de arte pública espalhadas pela localidade.

A zona antiga de Odemira, onde se destaca o edifício dos Paços do Concelho, além do Moinho de Vento Municipal e o Percurso Ribeirinho e o Parque de Merendas é parte constituinte  são verdadeiros ex-libris, locais de visita obrigatória. Os miradouros, os jardins e o comércio local são outros pontos de interesse para quem visita Odemira.

N. Sra da Piedade é a padroeira, homenageada no dia 8 de setembro, dia do feriado municipal.

Aproveite estes momentos de descanso para conhecer um pouco melhor as gentes acolhedoras de Odemira. Siga depois para o percurso ribeirinho ou para restantes espaços ao redor do Rio.

Os Parques de Merendas é de todos mas estime-o orno se fosse seu!

  • Os restos das refeições ou outros desperdícios não são boas recordações para a natureza. Utilize os contentores e as papeleiras para colocar o lixo separe os resíduos recicláveis e coloque-os no ecoponto.
  • Aprecie a pacatez deste local. Não faça barulho. Ouça o rio a correr e o canto das aves.
  • Consgrve estas estruturas. Desta forma poderá voltar a merendar.
  • Um pequena fogueira pode tornar-se um grande problema. Não faça fogo nesta área. Quando terminar o seu cigãrro certifique-se de que fica bem apagado e coloque-o na papeleira.

Odemira em números

  • 1720 – área do concelho em km, (é o maior concelho de Portugal)
  • 17 – número de freguesias do concelho de Odemira
  • 478 m – altitude do local mais elevado do concelho
  • 33% – representatividade da agricultura, pecuária e silvicultura no emprego de Odemira
  • 25 mil – número aproximado de habitantes no concelho de Odemira
  • 95% – representatividade da actividade turistica de Vla Nova de Milfontes e Barragem de Santa Clara em toda a zona Bacia Hidrográfica do Mira.
  • 8 – no dia 8 de Setembro ocorre a festa anual, a festa da N.Senhora da Piedade
  • 51% –  representatividade da indústria da madeira e da cortiça em termos de volume de negócio da Região

Flora da Bacia Hidrográfica do Rio Mira

Flora da Bacia Hidrográfica do Rio Mira

A bacia hidrográfica do rio Mira alberga um património natural de elevado valor conservacionista, tanto ao nível dos habitats como das espécies da flora presentes, muitas delas espécies raras, endémicas, localizadas, ameaçadas ou em perigo de extinção e consequentemente protegidas a nível nacional e comunitária Estamos pois perante uma área de elevado interesse que urge conservar para as gerações vindouras.

A diversidade de habitats que ocorre nesta região resulta não só das suas características biogeográficas e geológicas, mas também das condições climatéricas muito próprias desta zona de influência simultaneamente mediterrânica e atlântica.

Desta forma, e dada a reduzida ocupação humana a zona, foram criadas as condições para a ocorrência de uma elevada iversidade florística, com uma grande percentagem de espécies raras, endémicas e de distribuição geográfica restrita. De notar que só na bacia hidrogrdfica do rio Mira foram identificadas 38 comunidades vegetais diferentes.

Faixa litoral

Entre as formações naturais que ocorrem na bacia destacam-se, na faixa litoral, algumas formações endémicas de tojais-chamuscos, comunidades de falésia com Limonium spp. endémicas e ainda comunidades vivazes, de elevado valor, resistentes às condições agrestes e ã pressão humana. Nas importantes extensões de dunas consolidadas e dunas fósseis, assentes sobre as falésias xistosas, destacam-se espécies endémicas típicas como a Centaurea vicentina,Centaurea trocara e várias formações arbustivas costeiras com zimbro (lumperus turbinata) e tomilho (Thymus camphoratus) de elevado interesse de conserção.

Estuário

No estuário, na zona de sapal, evidenciam-se espécies como a Spartina maritima,Saramornia perennis, Sarcoornia fruticosa,Amplex portulawides entre outras, bem adaptadas aos solos encharcados em períodos prolongados e aos teores variáveis de salinidade das águas.

Linhas de água

Nas margens das linhas de água desenvolve-se a vegetação ribeirinha, dominada por caniçais (Phragmites australls) e por salgueirais arbustivos com borrazeira branca (Salix salvifolia ssp. australis), espécie incluída na directiva habitats, borrazeira preta (Salix atrocinerea) e salgueiro branco (Salix alba). O coberto arbóreo apresenta frequentemente importantes comunidades de amiais não pantanosos. O freixo (Fraxinus angustifolia) e o choupo negro (Populus nigra) também ocorrem nestas galerias ripícolas.

Interior

No interior e nos locais onde o clima não é demasiado seco ou frio devido à altitude, a vegetação é essencialmente composta por bosques e matagais onde predominam os sobreirais mistos dominados por sobreiro (Quercus suber), com a presença de carvalho-lusitânico (Quercus faginea), azinheira (Quercus rotundifolia), carrasco (Quercus co«ifera), zambuieiro (Olea europaea var. sylvestris) e aroeira (Pistada lentiscus). Os sub-cobertos densos são dominados por arbustos altos de medronheiro (Arbutus unedo) e urze (bica arborea), leguminosas e cistáceas. A estes bosques mediterrânicos, estão associadas as orlas de floresta ou matos pré-florestais. Nos matos destacam-se os estevais (Cistus spp.), os urzais (Eric° spp.) e os tojais (Ulex spp.).

Floresta mediterrânica

Os sobreirais e azinhais que constituíram outrora os elementos estruturais da antiga floresta mediterrânicà, com especial representação no st.11 de Portugal, encontram–se actualmente bastante degradados e fragmentados. Infelizmente, estas manchas de matagal mediterrânico estão restritas a pequenas áreas nas encostas viradas a Norte. Mesmo nas manchas mais preservadas, há sinais de intervenções humanas nos sub-cobertos, como seja o corte arbustivo de medronheiro.

Mais vulgares e extensas são as formações agro-florestais de montados de azinho e sobro, resultantes da floresta mediterrânica original depois de uma intensa exploração agrícola e pastoril. O coberto vegetal natural foi frequentemente transformado em áreas de montado aberto destinado à exploração de cortiça. A maioria destes sistemas semi-naturais encontra-se actualmente sujeito a uma forte intervenção humana. No entanto, nos montados densos e ainda relativamente bem preservados é possível encontrar uma importante camada arbustiva dominada por medronhais, urzes e alguns carvalhos.

Nalgumas areas, onde os montados com predomínio da azinheira foram abandonados, a vegetação tende a evoluir para um bosque ecologicamente rico. Contudo, a extensão destas formações está a diminuir, apresentando–se actualmente rodeadas por estevais densos e de baixa diversidade florística que tendem a penetrar e descaracterizar estas manchas, impedindo a sua regeneração natural.

As sucessivas práticas agro-florestais inadequadas para este território, têm conduzido à destruição irrecuperável de alguns habitats. Exemplos inegáveis são as plantações florestais de exóticas em larga escala, como é o caso do eucalipto.Também os incêndios que têm devastado esta região são responsaveis por perdas irrecuperaveis.

Sabe quem foi Damião de Odemira?

Damião, ou Damiano foi um notável tratadista de xadrês, responsável pela criação de algumas jogadas, como o “Cambito de Damiano” e a defesa de Damiano ou Portuguesa. Este Odemirense nasceu no séc. XV e é uma das personalidades históricas de destaque da região. Odemira perpetuou o seu nome no “Jardim Damiano” onde pode encontrar o Parque Infantil de Odemira.

Odemira- Painel de Informações

Praia Fluvial Santa Clara - Odemira
Praia Fluvial da Tapada Grande na Mina de São Domingos - Mértola
Tagged , , , , , , , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.